Condromalacia / Condropatia da Patela

Recuperação Pós-Operatório

  • 1ª Semana após a alta

    • 1º dia (dia da alta): já deve movimentar o membro, trocar o curativo e agendar o início da fisioterapia o mais breve possível;
    • Restante dos dias: estará andando com o auxílio de muleta / bengala, realizando diariamente a fisioterapia, elevando o membro quando estiver deitado e mantendo-o na posição mais esticada possível, aplicando bolsa térmica gelada;
    • Ao final de 1 semana (7 a 10 dias) é o dia do retorno com o DR. Felipe Brasil.
  • 2ª a 4ª semana após a cirurgia

    • Permanecer com a fisioterapia;
    • Os pontos já foram retirados na consulta de retorno após avaliação do DR. Felipe Brasil;
    • Início do fortalecimento muscular na fisioterapia;
    • Já deve estar conseguindo andar sem muletas.

    (*) pacientes de mais idade ou com lesões mais complicadas podem ainda não ter sido liberados para pisar no chão.

  • 30 dias após a cirurgia

    • Pacientes mais jovens e com articulação saudável: é esperado estarem andando sem qualquer apoio de muletas / bengalas, já finalizando as fisioterapias e iniciando fortalecimento com esportes de baixo impacto e/ou academia;
    • Pacientes com mais idade ou lesões mais graves: podem estar ainda na fase de retirada da segunda muleta.

Perguntas Frequentes

  • Posso pisar?

    Praticamente todos os pacientes já podem ir colocando o pé no chão embora apoie com as muletas; a cada dia que passa pode ir colocando mais peso no membro operado desde que não haja dor; em 1 a 2 semanas já deve estar andando com apenas 1 muleta (quando mais jovem o paciente, mais magro, com melhor musculatura e com a articulação mais saudável, mais cedo consegue retirar as muletas) e após 15 a 20 dias de cirurgia deve conseguir retirá-las em definitivo.

  • Posso iniciar a fisioterapia ainda com os pontos?

    Os pontos não impedem de maneira nenhuma o início da fisioterapia; não existe o mito de que os pontos vão romper; a fisioterapia deve ser iniciada logo após a cirurgia.

  • Posso tomar banho sem curativo?

    Sim; dê preferência a sabonete neutro (ex: sabonete infantil) pois há menor chance de irritação; após o banho enxugue bem o ferimento e aplique o curativo.

  • Posso subir escadas?

    Sim, mas com cautela; pacientes jovens podem subir com o apoio do corrimão ou das muletas; idosos não devem se arriscar a subir sozinhos; a dica é subir colocando primeiro o membro não operado na frente e na descida fazer o contrário, colocando primeiro o membro operado.

  • Posso dirigir?

    A cirurgia não impede o ato de dirigir e ele não vai acarretar nenhum prejuízo à cirurgia; o momento de dirigir depende mais da confiança do paciente, se a dor não é um empecilho e o joelho está com boa mobilidade não há motivo para proibição.

  • Existe restrição de algum alimento?

    Não há nenhuma comprovação de que existe alimento chamado “reimoso” e que faça mal à cirurgia; se o paciente possui algum histórico de irritação ou alergia alimentar aí seria aconselhável realmente evitar.

  • Tenho que tomar a medicação para casa por quanto tempo?

    Dependendo do anti-inflamatório deve-se tomar de 5 a 7 dias (quando a dor está bastante frequente pode-se repetir a caixa, deixando o Dr. Felipe Brasil ciente); o analgésico deve ser tomado apenas em caso de dor, alguns pacientes acabam nem necessitando tomar, já outros podem tomar até por algumas semanas; em pacientes com risco elevado para TVP (geralmente nas cirurgias de prótese) utilizamos medicação anti-coagulante por 20 dias após o procedimento.

  • Devo continuar tomando os outros medicamentos que tomava antes da cirurgia?

    As medicações de uso contínuo para hipertensão, diabetes, depressão, ansiedade, etc, devem ser tomadas normalmente após a cirurgia.

  • Quais os sintomas esperados de eu sentir após a cirurgia?

    Dor ao movimentar o joelho, dor na região interna da coxa (quando o enxerto escolhido são os tendões flexores), dormência na região anterior da perna, desconforto no local das incisões (pontos), manchas roxas principalmente atrás do joelho ou no tornozelo, inchaço ou leve derrame, sensação de travamento do joelho.

  • Quais sintomas são menos comuns mas que não preciso me preocupar?

    Derrame articular (“água no joelho”) que às vezes necessita ser puncionada com anestesia local, dor mais intensa (já que o normal é sentir pouca dor), inchaço na perna e tornozelo e dor de cabeça mais intensa (que pode ser efeito da raquianestesia).

  • Quando poderei iniciar uma atividade física e de qual tipo?

    Pacientes mais jovens e com lesões menos graves com pouco desconforto após a cirurgia podem iniciar a prática de exercícios mais leves (bicicleta ergométrica, natação, caminhada leve) já com cerca de 20 dias após a cirurgia (período em que são retirados os pontos); após 30 dias já pode-se iniciar fortalecimento com alguns exercícios na academia (deve levar relatório com os exercícios que estão autorizados a fazer); com 3 meses vários esportes como corrida em linha reta, musculação livre, dentre outros, podem ser praticados desde que não tenham movimentos torcionais no joelho; o retorno a esportes de maior contato físico e que envolvem movimentos torcionais como futebol, lutas, basquete, vôlei, etc, só estão liberados após 6 meses desde que a reabilitação tenha sido feita dentro dos conformes (embora não esqueça que só seu médico irá liberá-lo para o retorno ao esporte).

  • Quais os sintomas de alerta que devem me preocupar e me fazer entrar em contato imediato com o Dr. Felipe Brasil?

    Febre, dor intensa que atrapalha o sono, sinais de secreção amarelada espessa (semelhante a pus), dor intensa na panturrilha associada a inchaço neste local.

Lesões dos Meniscos

LCA - Ligamento Cruzado Anterior

Condromalacia / Condropatia da Patela

Artroplastia (ou Prótese) Total do Joelho

Osteotomia de Realinhamento do Fêmur

Osteotomia de Realinhamento da Tíbia